Tradução

quinta-feira, 20 de junho de 2013

ALIMENTO DIÁRIO/COORDENAÇÃO, COMPANHEIRISMO, UNIDADE E AMOR

ALIMENTO DIÁRIO

SEMANA 6 - QUINTA-FEIRA

SÉRIE: A EDIFICAÇÃO DO CORPO DE CRISTO

MENSAGEM 14: Praticar a verdade (2 Jo 1-6)

Leitura bíblica: Sl 133:1-3; 1 João 2:7; 2 Jo 5

Ler com oração: Melhor é serem dois do que um [...]. Porque se caírem, um levanta o companheiro; ai, porém, do que estiver só; pois, caindo, não haverá quem o levante (Ec 4:9a, 10). Eu, João, irmão vosso e companheiro na tribulação, no reino e na perseverança (Ap 1:9a).


COORDENAÇÃO, COMPANHEIRISMO, UNIDADE E AMOR

Por meio de João também aprendemos que a obra de Deus é coletiva. Não devemos servir ao Senhor isoladamente, mas em comunhão e unidade com os demais irmãos. Em um corpo todos os membros são importantes, pois cada um tem sua função. Assim, o Corpo de Cristo é edificado através da justa cooperação de cada membro.
Como já vimos, em João 21:18 o Senhor disse a Pedro: “Em verdade, em verdade te digo que, quando eras mais moço, tu te cingias a ti mesmo e andavas por onde querias; quando, porém, fores velho, estenderás as mãos, e outro te cingirá e te levará para onde não queres”. Por meio dessas palavras João igualmente aprendeu que, quando amadurecemos espiritualmente, somos restringidos pela vontade de Deus, e não mais fazemos as coisas segundo nossa vontade natural.
Outra lição que aprendemos de João é que devemos ter companheiros para servir conosco (Ap 1:9). Se, por um lado, devemos cooperar com os irmãos, por outro lado, devemos nos abrir para receber ajuda daqueles que servem ao nosso lado. Por isso não devemos nos fechar para aqueles que o Senhor chamar para cooperar conosco em Sua obra. Além disso, também precisamos gerar companheiros, irmãos que possam cooperar conosco em nosso serviço, a fim de aprendermos a ser mutuamente restringidos e estar sempre em coordenação uns com os outros.
Muitas vezes deixamos de ser abençoados por querermos servir sozinhos ao Senhor ou por querermos que nossa vontade prevaleça. A vida do Senhor é dispensada e Sua benção ordenada quando servimos em unidade com os irmãos (Sl 133:1-3). Assim, mantemos o fogo do Espírito ardendo em nosso interior, purificando nossa alma e nos transformando, conformando-nos à imagem do Filho. Experimentar a transformação mediante o fogo purificador do Espírito foi outra lição que João aprendeu servindo ao lado de Pedro.
Depois de ter aprendido todas essas lições João amadureceu, e, assim, tornou-se apto para socorrer as igrejas da Ásia, especialmente a igreja em Éfeso. Mesmo sendo avançado em idade, com aproximadamente noventa anos, João foi usado por Deus para restaurar as igrejas à condição desejada por Ele. Em Éfeso, João pôde falar com amor e autoridade, pois havia experimentado o trabalhar de Deus e praticado Suas palavras.
João não enfatizava ensinamentos doutrinários, tampouco pretendia falar coisas novas. Seu único ensinamento era a prática das palavras que já haviam sido proferidas pelo Senhor por intermédio de Seus servos, os apóstolos que precederam João na liderança da obra. É por isso que escreve: “Amados, não vos escrevo mandamento novo, senão mandamento antigo, o qual, desde o princípio, tivestes. Esse mandamento antigo é a palavra que ouvistes” (1 João 2:7).
Ainda em 2 João 5 lemos: “E agora, senhora, peço-te, não como se escrevesse mandamento novo, senão o que tivemos desde o princípio: que nos amemos uns aos outros”. Nesse trecho vemos novamente João reforçando o que já havia sido ensinado no passado, mostrando-nos que o mais importante não é concebermos novas doutrinas ou ensinamentos, senão apenas praticar aquilo que recebemos a fim de manifestar o amor de Deus.

Ponto-chave: Servir em unidade com os irmãos mantém nosso espírito ardendo.
Pergunta: Por que João estava apto para ajudar a igreja em Éfeso?
Leitura de apoio:
“Aprendendo com os apóstolos” – cap. 5 – Dong Yu Lan.