Tradução

sexta-feira, 7 de março de 2014

Brota, ó poço!

Brota, ó poço!

O relato do livro de Números 21:17 diz que o povo de Israel chegou a um lugar chamado Beer, que significa poço. Esse poço foi cavado pelos príncipes e pelos nobres, com cetros e bordões, segundo a ordem que Deus dera a Moisés. Então o povo de Israel entoou um cântico dizendo: "Brota, ó poço!". A água aqui representa o Espírito.

Em João 4, lemos que o Senhor Jesus foi a determinado poço, onde uma mulher samaritana fora tirar água. O Senhor Jesus lhe disse que, depois que ela bebesse daquela água, tornaria a ter sede, mas, se bebesse da água que Ele lhe daria, nunca mais teria sede; pelo contrário, a água que Ele lhe daria seria nela uma fonte a jorrar para a vida eterna. O Senhor Jesus comparou-se a um poço. Graças a Deus porque o Senhor Jesus é um poço. Um poço de águas vivas. O poço que Israel cavou não era um poço comum, como os que conhecemos, com água vinda dos lados e acumulando-se no meio, mas um poço de águas que jorram do manancial, por isso as águas podiam brotar.

Nosso Senhor Jesus é um poço ligado ao manancial. Onde fica esse manancial? É o próprio Deus. Aleluia! Por isso, quando estavam para entrar na terra de Canaã, Moisés lhes falou, em Deteuronômio 8:7, que lá haviam ribeiros de água, fontes de mananciais profundos. Essa água viva flui da onde? Flui da fonte. De onde procede essa fonte? Procede o manancial. O Senhor Jesus é o poço, a fonte, e essa fonte tem uma origem, que é o manancial. Portanto, Ele é o poço de águas vivas. Ele falou para aquela samaritana sedenta e pecadora que, se ela bebesse da água do poço, jamais ficaria satisfeita e, quanto mais bebesse, mais sede teria. Todavia, se bebesse da água que Ele lhe desse, essa água fluiria para a vida eterna, porque dentro Dele havia um manancial, donde fluía essa água.

No Evangelho de João diz: "Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva" (Jo 7:37). Agora há no nosso interior uma fonte, um manancial, do qual fluem águas vivas. Tudo isso diz respeito ao Espírito (v. 38). Do seu interior fluem rios de água viva? De alguns de nós, porém, não fluem, porque o poço está entulhado.

Isaque, na terra de Canaã, tornou a abrir os poços cavados nos dias de Abraão, seu pai, porque os filisteus os haviam entulhado. Depois cavou outro poço. Vieram os filisteus e contenderam com ele. Então cavou outro poço. Isso se repetiu várias vezes. No começo, Isaque contendia com eles, mas, por fim, cavou um poço pelo qual não mais contenderam, e aí ficou. (Gn 26:18-22). Não vamos contender com os outros. Vamos pedir a Deus: "Deus, eu quero um poço. Tiraram-me o poço, mas vou cavar outro". Amados irmãos, cavemos toda a terra de dentro de nós.

Cavar com o que? Com o cetro e com o bordão dos nobres. Cetro representa a autoridade; o bordão, a nobreza. Essas duas coisas foram usadas para cavar o o poço (Nm 21:18). Ambos dizem respeito ao Senhor Jesus como nosso Rei. Ele tem autoridade e também é muito nobre. Por isso devemos cavar completamente. Por que é que de nós não fluem riso de água viva? Porque ainda não cavamos o suficiente para atingir a profundidade correta. Precisamos continuar cavando
Muitas coisas nos entulham. Que coisas são essas? Talvez sejam pecados diversos, lixo de todo tipo, que foram atirados como entulho no poço. Contudo, vamos cavar. As coisas do mundo também nos entulham. Vamos cavar de nós as coisas do mundo. Tirar os pecados, tirar de nós o mundo e nosso orgulho. Todos temos orgulho. Todos nós achamos que somos mais fortes do que os outros. Não somos como o Senhor Jesus, que se humilhou. Por isso Paulo nos diz que devemos considerar os outros superiores a nós mesmos (Fp 2:3b). Se considerarmos os outros mais fortes que nós, teremos cavado o orgulho de dentro de nós. Uma vez tirado o orgulho, sai também a ambição que estava no nosso interior. Temos ambição por nos julgar melhores do que os outros. Podemos pensar que o testemunho que damos é melhor que o dos outros, que a luz que recebemos é mais forte que a dos outros. Devemos cavar tudo isso de dentro de nós. Amados irmãos, cavemos o poço para que a água viva flua.

Todos queremos entrar no reino dos céus. Porém qual é a primeira lei da constituição do reino dos céus promulgada pelo Senhor em Mateus capítulos de 5 a 7? É nos esvaziarmos: "Bem aventurados os humildes de espírito" (Mt 5:3a).

Não sei o que está te entulhando. Talvez sua obstrução, sejam riquezas materiais, dinheiro. O que você pensa todos os dias é em ficar rico. Quem é assim, tem que cavar de dentro de si esse amor ao dinheiro. O que nós precisamos é ser rico no Senhor, e o Senhor não quer pingar em nós como um conta gotas, mas Ele quer ser rico e abundante, quer jorrar, quer fluir, para isso tem uma maneira, que é invocar o Seu Nome, é dizer: Oh! Senhor Jesus!  "Porquanto não há diferença entre judeu e grego; porque um mesmo é o Senhor de todos, rico para com todos os que o invocam" (Rm 10:12).